WeAr Festival 2017, evento da Wear Brasil, mostrou na última semana revoluções tecnológicas aplicadas à criação de artigos de vestuário. Uma das muitas possibilidades apresentadas nos workshops do festival foi o do uso do som nas roupas, com interatividade dos movimentos corporais, criando experiências e sensações diversas.

Na oficina “Playing with your body and sound”, o fashiontech designer Ricardo Nascimento mostrou de forma simples como aplicar soft circuits nas roupas, utilizando linha condutora e pequenos autofalantes.

Nascimento já trabalha desenvolvendo peças com interações há muitos anos e entre suas criações muitas são voltadas para o uso terapêutico e ajuda no desenvolvimento cognitivo. Na oficina, ele apresentou alguns itens desenvolvidos com fins educativos como uma almofada que em conjunto ao uso de uma luva permite sentir a vibração de cada cor.

Em seu site, é possível ver outras criações como a headband, utilizada como console de jogo do Xbox, que pontuava conforme o movimento servical do jogador, e apresentava ao final, um relatório mostrando os danos que ele causou ao seu pescoço devido à prática de dança do jogo.

O uso de sensores de movimento, fios condutores de energia, sensores de pressão, e autofalantes em peças de vestuário pode além de ser algo divertido e novo. A ideia é que seja funcional, suprindo necessidades físicas de uma pessoa com algum tipo de deficiência, ou mesmo para ajudar a amenizar déficits psicológicos.