null

Receba as edições impressas da Revista PCD na sua casa!

Newsletter

Cadastre-se e fique por dentro das novidades!

Quer receber as novidades sobre o universo PCD no seu e-mail? Cadastre-se abaixo:

Acessibilidade Destaque Esporte Inclusão Social Lazer Notícias

Com participação de público, Velódromo recebe Mundial de Paraciclismo na quinta-feira, 22

A Autoridade de Governança do Legado Olímpico (AGLO) garante que a população poderá acompanhar de perto e gratuitamente, o ‘Mundial Paralímpico de Paraciclismo de Pista’, que terá início na quinta-feira (22/03), no Velódromo do Parque Olímpico da Barra, RJ. Embora a autarquia não tivesse a licença do Corpo de Bombeiros após dois acidentes ocorridos com balões no ano passado – o que colocava em risco a realização do mundial; atualmente a AGLO já dispõe do documento obtido junto à corporação.

“Agora estamos com todas as licenças necessárias para que eventos voltem a ocorrer no Velódromo com a participação de público. A gente já utilizava a pista para nosso projeto social e treinos de alto rendimento. Estar liberada para o mundial é uma honra para gente”, comemorou o presidente da autarquia, Paulo Márcio Dias Mello, que firmou parceria com a Confederação Brasileira de Ciclismo (CBC), o Comitê Paralímpico Brasileiro (CPB), e o Ministério do Esporte para realização da competição.

A pista de pinho siberiano vai reunir atletas mundiais de alto rendimento; além do único brasileiro na modalidade, Lauro Chaman, que faturou medalha no último mundial, disputado na África do Sul.  E o presidente da CBC, José Luiz Vasconcellos, promete grandes emoções.

“Após os Jogos Paralímpicos, o público terá mais uma oportunidade única de prestigiar e sentir de perto esse contato com os melhores paratletas do planeta, desta vez durante o campeonato mundial aqui no Brasil. A expectativa é de quebra de recordes e disputas muito acirradas, tendo em vista que o Velódromo do Rio de Janeiro é um dos mais rápidos do mundo”, lembrou Vasconcellos.

No mundial serão 114 medalhas disputadas pelos principais nomes da atualidade. O paraciclismo é uma modalidade que emociona o público pelos exemplos de superação e dedicação de cada atleta. Já para Chaman, a expectativa é de que em casa ele melhore ainda mais os resultados do Brasil na modalidade.

“Estou muito feliz de voltar ao Velódromo da Paralimpíadas do Rio. Eu quero só agradecer a todos os envolvidos na realização desse mundial, especialmente à CBC, CBP e AGLO, além, é claro, a todos aqueles que torcem por nós. Estamos treinando muito para obter bons resultados para o nosso país. Se Deus quiser vai dar tudo certo”, destacou Chaman.

 

Competições, treinos e projeto social para descobrir novos talentos –

Em parceria com a Federação de Ciclismo do Estado do Rio de Janeiro (Fecierj), a AGLO desenvolve um projeto social voltado para a modalidade na pista. Atletas brasileiros também fazem uso permanente do espaço para treinos às terças-feiras, quintas-feiras e sábados. O local ainda é aberto para o público em geral, que pode experimentar o esporte na pista do Velódromo, após uma clínica de ciclismo, a ser agendada previamente com a federação.

As competições olímpica e paralímpica de ciclismo nos Jogos do Rio, em 2016, tiveram arquibancadas lotadas. Já para o mundial, a expectativa é que cerca de mil fãs de pista de velocidade passem diariamente pelo Velódromo para prestigiar o campeonato, que tem chancela e co-organização da União Ciclística Internacional (UCI).

O campeonato está sendo inserido no calendário de competições da confederação e será o primeiro evento internacional do ciclo a ser realizado no Brasil, contando pontos para a abertura de vagas dos Jogos Parapan-Americanos de Lima, 2019; e Paralímpicos de Tóquio, em 2020.

Para disputar na pista, os atletas devem possuir alguma deficiência física, a exemplo de paralisia cerebral, má formação congênita, deficiência visual com baixa visão; etc. Eles serão divididos em 14 classes funcionais, de ambos os gêneros e diferentes categorias de idade.

As provas de velocidade serão distribuídas em seis classes funcionais: tandem Sprint (homens e mulheres), Sprint de equipe (homens e mulheres, evento misto), prova de KM contra o relógio (homens e mulheres), perseguição individual (homens e mulheres) e scratch também para ambos os sexos.

 

 

Por: Lilian Dias
Fonte: http://aglo.gov.br/com-participacao-de-publico-velodromo-recebe-mundial-de-ciclismo-no-domingo-18/ (Acesso em: 16/03/2018)